Aquela mulher. Luiza


Uma longa passarela movimentada frente ao mar.

Eu estava la, assim como estou em todos os lugares.

Então ouvi:

- Qual seu nome gracinha?

- Meu nome? Luíza!

Luíza.

Eis a tradução do chamado pecado.

O que Luíza era?

Vou lhe dizer!

Cabelos castanhos escuros caídos pelos ombros,

uma boca lindamente desenhada, olhos verdes envolventes.

Sua pele bronzeada reflete a luz do sol, faz brilhar cada olhar que te acompanha!

Copacabana.

Ah sim, como ela é linda.

A Luíza claro!

Cada passo seu é acompanhado por todos presentes.

Sua piscadinha faz surgir enormes sorrisos de homens e garotos.

Seu corpo traz as curvas mais desejadas e escultural.

Lentes de câmeras vão à sua procura.

Ah Luíza!

Seu perfume aguçavam os/meus instintos,

Me fazia sacudir, sacudir o mar.

A cada segundo, junto ao mar compúnhamos a sinfonia da natureza,

para-lhe presentear e tornar perfeita inclusive a paisagem que o cerca!

Queria ter um coração nessa hora para poder sentir as batidas e a sensação de desejar fortemente uma mulher!

Fim de tarde se aproxima e Luíza volta para sua casa.

A noite cai.

Ela coloca seu mais lindo vestido e um salto alto, sua maquiagem já não é a mesma,

ela quer/precisa atrair olhares nas noites cariocas, então

caminhando pelos suburbios ela segue.

Me pergunto: cadê aquele brilho encantador?

O sol se fora e o brilho de Luíza também.

Acompanhando-a lado a lado e jogando seu longos cabelo ao vento, faz-se ouvir em sua direção:

- Qual seu nome gracinha?

- Meu nome? Luíza.

- Quanto custa seu serviço?


(TANIMOTO, Elam)

5 comentários:

Que triste! E o pior é que é a realidade de várias mulheres do Brasil.

 

Desta vez seu desfecho me surpreendeu. Mas realmente é algo que está presente em todos os lugares e Copacabana é sim o cenário do contraste social. E o vento vê de tudo... rsrs... adorei o texto =D

 

eu adorei, VC ESCREVE DIVINAMENTE BEM=X

 

A Vida é feita de escolhas.....

 

Postar um comentário

Páginas